Como regular o Dínamo do Automóvel Carocha – Fusca

Como o estado de carga da bateria é variável e como também o é o rendimento do dínamo, dependente que é da rotação do motor, o circuito de ligação entre essas duas unidades é provido de um regulador que desempenha as seguintes funções:
1) Quando o dínamo gira a pouca rotação, debitando corrente de voltagem inferior à da bateria e quando também o motor está parado, o regulador desliga a bateria de sua ligação com o dínamo, impossibilitando assim que a corrente da bateria se escoe para o dínamo sem nenhum proveito. Essa parte do regulador chama-se “disjuntor”. Ao contrário, se o dínamo gira com rotação suficiente e sua corrente é de voltagem superior a da bateria, então o disjuntor liga os dois circuitos, e o dínamo passa a carregar a bateria.
2) Se a bateria está bem carregada e o dínamo debitando corrente de voltagem elevada, o regulador também entra em função, regulando a corrente de carga a fim de impedir o super-carregamento da bateria, que não é conveniente.
3) O regulador também controla a corrente que flui no circuto do dínamo, impedindo que atinja valores demasiadamente altos.

Luz de aviso

Quando a ignição é ligada e o motor funciona a baixa rotação, acende-se uma luz vermelha no quadro, sinal de que a bateria está se descarregando. Tão logo aumente a velocidade do motor a luz se apaga, o que indica que o dínamo está carregando a bateria. Se a luz se acender estando o carro correndo a velocidade normal é porque o dínamo não está debitando corrente. Verifica-se primeiramente a correia e se esta estiver normal, passa-se ao exame das ligações, das escovas, do coletor e também do regulador, como se segue.

Verificação da voltagem do regulador (sistema de 6 volts)

Desliga-se o fio do terminal 51 do regulador e liga-se a esse terminal o cabo positivo de um voltímetro que registre de 0 a 30 volts; a ponta do outro cabo liga-se a “massa” (estrutura do veículo).

Dá-se partida ao motor, e ao se aumentar a rotação em torno de 2.000 RPM o ponteiro deve saltar para uma indicação de 6 a 7 volts, estabilizando-se depois entre 7,3 e 8,6 volts. Se se pára o motor repen-tinamente, o ponteiro volta a zero.

Controle da corrente de carga. (Amperagem)

Desligue o cabo positivo da bateria. Ligue um amperímetro que acuse 30-0-30 amperes entre este mesmo borne e a ponta do cabo que foi desligada.
O amperímetro deve permanecer em “0” estando desligados os aparelhos e circuitos elétricos. A proporção que os circuitos são ligados aumenta a amperagem da corrente de descarga.
Se o amperímetro acusar descarga com os equipamentos desligados, é porque deve haver um curto-circuito na instalação, o qual deve ser localizado e eliminado.
Com o motor em funcionamento, o amperímetro deve indicar uma corrente de carga que deve aumentar de intensidade a proporção que aumenta a velocidade de rotação do motor.

Controle do regulador

A prova anterior não fornece uma indicação segura sobre o funcionamento do regulador, porquanto a corrente de carga depende do estado de carga da bateria, de modo, que, para se fazer um teste seguro do regulador, lança-se mão do seguinte artifício:

O voltímetro e o amperímetro devem ser ligados ao circuito como mostra a figura, para os testes no regulador.

ligacao-de-voltimetro-e-amperimetro-volkswagem-carocha-fusca

Desliga-se o fio do terminal 51 do regulador.
Interpõe-se em série com um amperímetro, uma resistência de 0,276 ohms e 200 W entre o borne 51 e a “massa”.
Liga-se o terminal positivo do voltímetro ao terminal 51 e o terminal negativo a “massa”.
Dá-se partida ao motor. Com o motor funcionando à rotação compreendida entre 1.750 a 2.000 RPM a corrente de carga deve ter a voltagem compreendida entre 6,4 e 7,3 volts, e a amperagem entre 23 e 26,5 amperes.
Qualquer anormalidade do regulador de voltagem só poderá ser corrigida por eletricista competente, de preferência no concessionário, pois suas características são próprias e seus ajustes sumamente delicados. Não deve ser aberto ou mexido por leigos no assunto.




10 Comments

  1. marcelo Responder
  2. andre olmedo Responder
  3. matheus Responder
  4. geovani ferreira Responder
  5. Rubens Responder
  6. Herald Responder
  7. Flávio André Carvalho Pinto Responder
  8. Luciano Andress Martini Responder

Deixar Comentário