Fugas de óleo e mudança de óleo

Quando tiver óleo no chão onde costuma estacionar o seu carro, trate de procurar a origem da fuga. A fuga pode não se localizar exactamente por cima da poça de óleo.

O nível do óleo controla-se melhor quando o carro já estiver desligado há algum tempo e em plano sempre nivelado. Melhor ainda, são os indicadores do nível de óleo no painel de instrumentos, que os construtores incorporam já com maior frequência, mas que ainda existem apenas em carros de topo.   

As fugas de óleo costumam acontecer com mais frequência no cárter, pelo bujão de esvaziamento ou pela junta, na tampa das válvulas ou pela vareta, se o motor estiver com pouca compressão, ou no tubo de óleo do travão, se estiver roto.

A mudança de óleo deve ser feita consoante o número de quilómetros ou uma vez por ano. Caso se possa optar pela época, os  motores a diesel deverão fazer a mudança no Outono e, os motores a gasolina devem fazê-la na Primavera.  

O melhor óleo a utilizar é o sintético. Não necessariamente por ser mais caro, mas porque tem, de facto, mais qualidade. Os óleos sintéticos não se obtêm por um processo igual ao dos óleos minerais, mas sim por processamento químico, embora seja correcto que tanto uns como o outro provêm do petróleo. O óleo sintético não escorre tanto e unta as peças do motor por mais tempo, protegendo-as melhor nos arranques a frio e nas imobilizações prolongadas. Para além disso, o óleo sintético é mais durável, com uma diferença que se pode estimar no dobro, ou seja, é mais caro mas só precisa de ser mudado metade das vezes.  

Passos para a troca de óleo

1.Mantenha o carro ligado durante alguns minutos, porque o óleo quente drena melhor do que o óleo frio.

2.Estacione o carro em um lugar plano. Desligue o carro e deixe-o travado e engrenado. Levante-o com um ou dois macacos, com firmeza, para não cair. Coloque calços para que o carro fique realmente imóvel. Depois de ter certeza de que o carro não sairá do lugar, pegue um recipiente vazio, largo e baixo, onde cairá o óleo usado que sairá do carro.

3.Se souber onde fica o cárter (tanque do óleo em um motor), coloque o recipiente abaixo do tampão de drenagem. Se não souber, consulte o manual do proprietário, que mostra a localização

4.Com uma chave de boca da medida do tampão, afrouxe-o girando em sentido anti-horário. Depois acabe de retirá-lo com a mão

5.Deixe o óleo drenar até ver que não ficou nada no cárter e que não pinga mais.

6.Limpe o tampão retirando os restos de óleo e coloque-o novamente com a mão.

7.Aperte-o com a chave de boca e certifique-se de que está bem firme. Não o deixe frouxo, porque ele pode se soltar e o óleo todo escorrer, nem apertado demais, porque, se a rosca se danificar, o óleo também vaza

8.Localize o filtro de óleo. Coloque um recipiente em baixo dele para receber as sobras que possam ficar no filtro

9.Solte o filtro e retire-o. Limpe a área com um trapo. Cheque se a junta de borracha do filtro velho saiu com ele e não ficou grudada no motor.

10.Umedeça com óleo novo a junta do filtro, usando a ponta do dedo, e coloque-o no lugar. Aperte bem com a mão (de preferência sem usar nenhuma ferramenta).

11.Tenha o óleo novo à mão. Em geral, são necessários 4 litros para um motor padrão, mas é preferível confirmar a quantidade no manual do proprietário

12.Abra a tampa na parte de cima do motor onde se põe o óleo e use um funil para não derramá-lo. Coloque a quantidade necessária, de acordo com o manual do proprietário.

13.Deixe o óleo descansar alguns minutos e verifique o nível com a vareta medidora. O nível deve ficar entre máximo e o mínimo.

14.Ligue o motor e observe se a luz de alerta da pressão do óleo no painel de instrumentos está apagada (desenho de um recipiente de óleo, em geral)

15.Se o nível estiver perto do mínimo, abra a tampa novamente, complete com mais óleo e meça com a vareta até chegar ao máximo.

16.Feche o capô, abaixe o carro com o (s) macaco(s), e controle periodicamente o nível de óleo.

 

 




Deixar Comentário