Impermeabilizar paredes e calhas

Impermeabilizar paredes e caves de alvenaria

As fissuras que aparecem frequentemente neste tipo de paredes, favorecem a passagem da água. As paredes antigas encostadas aos terrenos, sofrem processos de degradação que favorecem a penetração da umidade. Com o tempo depositam-se formações calcárias e sais cristalizados, provocando a degradação da parede e dos revestimentos. Estes locais tornam-se espaços insalubres e húmidos.

Para solucionar estes problemas, deverá revestir-se a face interior das paredes com um reboco de impermeabilização que resista à contra-pressão da água e aplicado numa camada suficientemente espessa que consiga regularizar o suporte.

É um erro terrível revestir paredes húmidas com azulejos, ardósias e outros, sem antes resolver o problema da humidade.

Algumas dicas para acabar com humidades nas paredes.

Azulejos ou  outros revestimentos não solucionam problemas de infiltrações. Após localizar a origem da humidade, temos que reparar o local, aplicando um impermeabilizante (leia atentamente

o passo a passo de como aplicar o mesmo). Depois do impermeabilizante aplicado, tome cuidado para não furar a película deste, aguarde o tempo correcto de secagem entre uma demão e outra.

 

Impermeabilização de calhas com pintura

O substrato para a aplicação deve ser preparado de modo a garantir uma perfeita aderência da camada  de revestimento impermeável  e não deve possuir irregularidades. Para isso recomendamos:

Lavar e retirar todas as partículas soltas, restos de desmoldantes, natas de cimento, ou qualquer material que possa prejudicar a aderência.

Sobre a superfície levemente humedecida aplicar argamassa de regularização no traço de 1/4 de cimento com areia com espessura mínima de 2 cm . Adicionar na argamassa de regularização fibra de polipropileno, com 100 gr por saco de cimento , para diminuir fissuras de retração e adesivo acrílico na proporção de 2% sobre o peso do cimento para aumentar a aderência.

Como aplicar:

A pintura acrílica refletiva deverá ser aplicada em demãos alternadas e cruzadas, espaçadas de 6 horas até atingir o consumo de 3 kg/m². Sendo necessário diluir a 1º demão de 40 a 50% de água, para garantir uma perfeita aderência entre o substrato e as demãos seguintes.

Entre as demãos estruturar com tela de poliéster dando atenção na região dos cantos, ralos e tubos emergentes para uma perfeita estruturação do impermeabilizante.

Impermeabilização de calhas sobre a laje de cobertura, em concreto armado.

Estas calhas devem ser impermeabilizadas com o sistema de mantas. A manta deverá subir pela parede da calha até a sua borda externa. As paredes e calhas devem ter a sua superfície superior na mesma inclinação do telhado. Recomenda-se que a telha entre pelo menos 10cm dentro da calha, formando um pequeno beiral a fim de evitar entrada de água causada por chuvas de vento.
Para efeito de manutenção da calha, recomenda-se uma largura livre de no mínimo 30cm.
Deve-se prever na camada de regularização da superfície do fundo da calha, um caimento mínimo de 1% para ralos e sua espessura mínima de 3 cm. Invariavelmente, uma calha deverá receber um tratamento de isolação térmica. 




2 Comments

Deixar Comentário