Instalar iluminação no exterior

 Iluminação no exterior –  plano de instalação:
Execute antecipadamente um plano sobre o qual determinará a colocação da iluminação e dos interruptores, o trajecto subterrâneo dos cabos, a ligação à terra e a proveniência da alimentação eléctrica. Não procure necessariamente o caminho mais curto para ligar entre si os candeeiros. Se quiser economizar cabo, não deve ser em detrimento da sua relva, será talvez preferível, para poupar a relva, seguir o traçado de um caminho por exemplo.

Instalar iluminação exterior, as lâmpadas incandescentes:
A maioria dos candeeiros são previstos para lâmpadas incandescentes “standard” (E27). Trata -se geralmente de globos ou lanternas, que pode equipar com lâmpadas de 75 ou 100 watts ou lâmpadas de reflector incorporado, (spots).

Segurança, protecção:
As letras IP seguidas de dois números indicam o nível de protecção dos aparelhos. O primeiro número indica o nível de estanque do material em relação às poeiras. Para a iluminação exterior, o primeiro número deve ser no mínimo 4 (o máximo é 6).
O segundo número consiste no grau de estanque do aparelho. Ele deve ser pelo menos de 3, o que indica uma protecção contra uma pequena chuva. A partir do índice 4, os materiais resistem à força de um jacto de água. Quanto ao nível 7, ele resiste à imersão. Opte por um IP de pelo menos 44.

Iluminação fachada / jardim:
Um candeeiro de parede pode ser uma medida contra os intrusos, iluminar um terraço ou permitir trabalhar no crepúsculo. Se procura criar um ambiente particular no jardim, deve espalhar os projectores alimentados por cabos subterrâneos.

A iluminação de paredes,   as ligações de cabo:
Descarne as extremidades dos fios, depois fixe-os no casquilho. Nalguns casos poderá necessitar de uma caixa de junção. Ligue juntamente os fios da mesma cor. Se o candeeiro tiver partes metálicas, lembre -se de ligar o cabo de terra (amarelo / verde), à estrutura do candeeiro.

Caixa estanque:
Deve obrigatoriamente tratar-se de uma caixa de derivação estanque que é assegurada por uma junta na caixa e por mangas (a cortar com o diâmetro apropriado ao cabo na altura da instalação) nas entradas e saídas dos fios. Estas caixas não são contudo previstas para uma imersão.

Disjuntor:
O grau de humidade mais elevado no exterior aumenta os riscos. Pelo que deverá redobrar a atenção, ligando por exemplo a instalação exterior a um disjuntor diferencial de 30 mA que não deverá servir para nenhum outro dispositivo eléctrico.

A perfuração:
Evite sempre que possível a presença de cabos visíveis sobre a fachada, não só é inestético como também não é seguro. O cabo deve assim, sair da parede no local exacto da iluminação. Para a perfuração, utilize uma broca de diâmetro superior ao do fio eléctrico a instalar.

Ligação:
Efectue as ligações que nos bornes da caixa, que nas caixas de junção. Não descarne os fios mais do que o necessário e evite a utilização de cabos danificados.

A iluminação de jardim, alimentação:
Tal como no interior da casa, poderá ligar até 8 candeeiros no mesmo circuito. Utilize um cabo de secção 1,5 mm² (com um disjuntor de 10 A) para um circuito de candeeiros, ou de 2,5 mm² (com disjunto de 16 A) se colocar também as tomadas.

Aparelho estanque:
O grau de estanque do aparelho é geralmente assegurada por uma junta de borracha colocada entre o casquilho e o globo. Se não for este o caso, o corpo do aparelho, é concebido para que a água que entre possa escoar rapidamente sem entrar em contacto com os elementos sob tensão.

Fixar ao chão:
Os candeeiros estarão muito expostos ao vento. Estes devem por isso ser solidamente fixos ao solo, sobre um maciço de betão por exemplo. Assegure -se de passar o tubo protector com o cabo antes de encher a fundação de betão.

Interruptor bipolar:
Coloque se possível o interruptor no interior, evitará assim ter de sair para o acender. Senão, coloque um interruptor estanque. Este deverá obrigatoriamente ser bipolar.

Estacas de jardim:
Existem candeeiros montados sobre uma estaca a enterrar no chão, ou projectores portáteis providos de um suporte largo e estável, equipados com uma ficha com borne de terra, que podem simplesmente ser ligados a uma tomada.

Os cabos:
Se colocar cabos exteriores, proteja -os dentro de um tubo isolante rígido que fixará à fachada com abraçadeiras de aperto especiais.

Célula foto eléctrica:
Poderá optar por um candeeiro com célula fotoeléctrica, assim que esta detectar uma baixa de luminosidade no exterior, acende o candeeiro, da mesma forma que, quando a célula detectar a luz matinal, o apaga.

Detectores de movimento:
Estes aparelhos estão equipados com um dispositivo de infravermelhos que detecta os movimentos numa determinada zona provocando assim o funcionamento do candeeiro. O sistema de detecção é mais sensível nas zonas laterais, tenha isso em conta quando escolher o local de colocação (assim como a altura).

Profundidade:
Enterre o cabo a 60 cm de profundidade, 1 metro sob um caminho utilizado por automóveis. Não o faça se o solo for pantanoso, arenoso ou instável. Aconselha-se geralmente escavar até 70 cm afim de colocar o cabo sobre um leito de areia com 10 cm de espessura destinado a compensar as pressões.

A iluminação de jardim, a perfuração da parede:
Como para a iluminação de parede, utilize para a perfuração uma broca de diâmetro superior ao do cabo. Uma vez este colocado no furo, tape cuidadosamente os espaços à volta com mástique, este é indispensável, se o furo for ao nível do solo, para evitar fugas posteriores.

Ligação em série:
Não efectue ligações subterrâneas. Se desejar ligar entre si vários candeeiros, pode liga-los ao nível do casquilho, desde que os aparelhos estejam preparados para tal ligação.

Os projectores halogéneo:
Contrariamente à luz suave difundida pelas lâmpadas incandescentes, destinada acima de tudo a facilitar a circulação nocturna, os projectores de halogéneo fornecem uma luz forte de tal forma a desencorajar, por exemplo, os visitantes indesejados.




Uma resposta

  1. VALDENOR Responder

Deixar Comentário