Montagem da caixa de mudanças – diferencial

A remontagem da caixa não apresenta nenhuma dificuldade, desde que se observe uma sequência inversa da desmontagem e cuidados especiais, como se segue:

Antes da remontagem, verifica-se o estado das buchas de apoio do garfo da embreagem e também a bucha de apoio do induzido do motor de partida. É boa norma substituí-las, porquanto nova substituição só poderá ser feita com a desmontagem da caixa.

A reposição dos rolamentos do diferencial deve ser feita com a prensa para que fiquem perfeitamente encaixados. A tolerância máxima de desvio é de 0,004 mm. A ferramenta adequada é a VW 290 a.

Montagem da caixa de mudanças / diferencial

O diferencial só é montado depois de sofrer os serviços de revisão que estão detalhados adiante. A montagem das hastes deslizantes é a operação que se segue, colocando-se primeiramente a haste do garfo de marcha-a-ré, prendendo-se o garfo na haste. Colocam-se as esferas e as molas do bloqueio e depois as hastes dos garfos de 1A e 2A e de 3A e 4A. O comprimento normal das molas de retém é de 25 mm. Se for inferior a 23 mm devem ser substituídas.

Antes de se colocarem as árvores primária e secundária verifica-se se funciona bem o mecanismo de retém; quando se engata a 1A ou 2A as duas outras hastes devem ficar bloqueadas.

Coloca-se a engrenagem e o eixo de marcha a ré, fixando-o com o pino de retenção. Montam-se as duas árvores e o diferencial, observando-se cuidadosamente a correta posição dos anéis de regulagem do diferencial. Coloca-se o garfo da embraiagem.

sequencia-de-aperto-das-porcas-das-carcacas

As superfícies de contacto das duas metades da carcaça devem estar perfeitamente limpas antes de serem levemente untadas com uma camada de um bom veda-juntas. Colocam-se apenas 4 parafusos e verifica-se se as marchas podem ser trocadas com facilidade. Só então colocam-se os outros parafusos e porcas, apertando os mesmos na sequência indicada pela figura a uma torção de aperto de 2 kgm.




4 Comments

Deixar Comentário