Remoção da embreagem Volkswagen Carocha – Fusca

Remoção da embreagem

Essa operação, assim como a desmontagem da embreagem já foi descrita quando tratamos da desmontagem do motor.

Depois de desmontada, procede-se ao exame das peças.

desmontagem-da-embreagem-1

desmontagem-da-embreagem-2

Disco da embreagem

Por ser a parte mais sujeita a desgaste, essa peça merece cuidados especiais. As guarnições (‘lonas”) desgastam-se depois de muito uso e devem ser substituídas, para o que se recomendam os serviços do revendedor no que se refere a esse revestimento, já que essa operação requer cuidados especiais. Eis aqui os fundamentais: uso de lonas genuínas; as concavidades dos setores devem ser uniformes e dentro dos limites especificados, as lonas devem ser rebitadas justamente na parte mais côncava como mostra a figura, e para cada rebite colocado pula-se um furo, onde irá se alojar o rebite do setor seguinte. O empenamento máximo permitido é de 0,5 mm. Sendo ultrapassado esse limite, troca-se o disco completo. Não deve haver folga entre as estrias da árvore primária e as do cubo do disco.

concavidades-das-molas-dos-discos

Molas

Comparam-se as molas com as especificações, substituindo as que estiverem fracas.

Platô

Se estiver desgastado ou áspero, é permitida uma retifica até 0,1 mm.

Na montagem da embreagem, a ferramenta VW 254a facilita o trabalho e proporciona montagem correta. Verifica-se o paralelismo entre o espelho do colar e o volante do motor.

Nos modelos “1 300”, a distância do espelho do platô ao plano do volante é de 27 x 0,2 mm e nos modelos “1 500”, “1 600” e “1 600” plano, 30 ± 0,3 mm. Nesses modelos a regulagem se faz pelas porcas, porquanto os parafusos são do tipo oscilante.

Colar

Para se retirar o colar, retiram-se as duas molas que o prendem ao garfo. Se o carvão (ou rolamento) estiver gasto, rachado ou arranhado, o colar deve ser substituído. Se se deseja usar o colar de rolamento nos sedans, basta substituir também as molas por outras próprias.

O eixo do garfo, que atravessa a carcaça, só pode ser retirado se a caixa de mudanças for desmontada nos modelos sem a primeira marcha sincronizada.

Regulagem da folga do pedal

A folga do pedal deve estar com-preendida entre 10 a 20 mm, o que corresponde a uma distância de 1 a 2 mm entre o colar e a placa de debreagem. A regulagem se faz na ligação do tirante de comando com a alavanca de debreagem, que se encontra na parte superior da caixa de câmbio. Solta-se a contra-porca e age-se sobre a porca de regulagem até obter-se o movimento livre desejado, depois do que aperta-se a contra-porca.

Colocação correta do garfo na alavanca de embreagem

Se o eixo do garfo foi retirado, na remontagem tomam-se os seguintes cuidados: substitui-se as buchas de apoio se estiverem gastas e, na remontagem, untam-se as mesmas com graxa macia. A ligação do garfo com a alavanca de embreagem obedece a certos critérios: Ao se calcar no pedal até eliminar a folga, a alavanca de embreagem deve formar um ângulo com a vertical nunca superior a 2o. Por outro lado, ao se calcar o fundo no pedal, a parte superior “B” do furo não deve ser forçada contra o tirante. Com o pedal solto, o tirante se apoia levemente na parte interior “A” do furo em forma de funil.




Uma resposta

  1. joel barros batista Responder

Deixar Comentário