Tratamentos e Acabamentos em Madeira

Vamos aprender a tratar e e a fazer acabamentos em madeira com vários materiais:

Esmalte corado de poliuretano

As tintas de poliuretano são extremamente duras e resistentes aos arranhões, constituindo um acabamento ideal para o mobiliário de quarto de crianças ou de cozinha. Resistem sem descorar a temperaturas até 100°C.

As tintas de poliuretano são duráveis mesmo quando aplicadas em exteriores. Existem dois tipos de poliuretano para acabamentos: brilhante ou mate.

Aplicação. A madeira não precisa de qualquer preparação. Depois de uma camada de um primário de poliuretano, aplique o produto com uma trincha ou um pulverizador como se fora uma tinta vulgar.

Para obter melhores resultados, lixe levemente após a aplicação de cada demão, removendo todo o pó; não deixe passar mais de vinte e quatro horas entre cada aplicação do produto.

As superfícies já pintadas não requerem uma demão de aparelho e devem ser limpas com muito cuidado para eliminar todas as sujidades e gorduras; seguidamente, dê uma ligeira passagem com lixa de papel. As superfícies expostas às intempéries necessitam de, pelo menos, duas camadas. Para interiores, uma só camada é suficiente, se a pintura não for muito diferente da anterior.

A maioria das tintas de poliuretano está seca ao tacto ao fim de três horas, pronta para ser lixada após seis a oito horas e completamente endurecida dentro de três ou quatro dias.

Envernizamento com boneca

É o acabamento tradicional e emprega-se, sobretudo, para móveis antigos. O seu elemento básico é a goma–laca dissolvida em álcool desnaturado.

A aplicação deste verniz é indicada para reparar um móvel antigo ou harmonizar uma peça com outras já existentes; embora excelente, este acabamento danifica-se facilmente em contacto com o calor ou líquidos.

Existem várias marcas de vernizes para aplicação por boneca, tornando este trabalho muito simples para o amador, pois, feito com cuidado, dá resultados satisfatórios.

Há vários tipos de envernizamento com boneca à base de goma-laca, diferindo unicamente na cor; o verdadeiro envernizamento com boneca tem uma cor castanho-viva, esbatendo-se a gama de tons até quase aos transparentes.

  • Preparação. A madeira deve ser cuidadosamente lixada e limpa e o fio betumado com um betume apropriado. Escolha o tom tendo em conta que os mais escuros escurecem consideravelmente a madeira. Antes de escolher uma cor, deve experimentá-la sobre uma amostra da madeira onde vai aplicá-la. Esta deve ser tingida antes da aplicação do verniz.
  • Equipamento. Para a aplicação deste processo de envernizamento, o utensílio indispensável é a boneca, espécie de almofada de algodão em rama que actua como reservatório do verniz, envolvida num pano de linho macio ou de algodão, semelhante a um lenço usado e que actua como um filtro.

A boneca não deve ser mergulhada no verniz, o qual se deve deitar directamente na almofada depois de retirado o pano. Evite um excesso de verniz; este deve exsudar ligeiramente ao ser aplicado com uma pequena pressão.

Aplicação. Trabalhe com movimentos regulares, desenhando a figura de um oito, até que a madeira fique revestida com uma fina película de verniz. O objectivo é a aplicação de uma série de finas camadas, deixando apenas alguns minutos de secagem entre cada uma. Certifique-se de que os cantos e as arestas ficaram bem revestidos de verniz.

Logo que tiver obtido uma superfície plana e regular, a peça estará pronta para a segunda fase: a aplicação do álcool.

Deixe a obra repousar durante, pelo menos, oito horas e, em seguida, prepare uma outra boneca com uma cobertura de dupla espessura embebida em álcool desnaturado. Esprema a boneca até esta ficar praticamente seca — o seu invólucro deverá ficar simplesmente húmido — para que o álcool não dissolva o verniz.

A aplicação do álcool destina-se a remover os traços deixados pela boneca e a conseguir um acabamento brilhante. O movimento da boneca deve ser feito como o anterior — desenhando a figura de um oito —, aumentando a pressão à medida que a boneca vai secando. Substitua o pano de revestimento periodicamente até ao final da operação.

Por fim, trabalhe no sentido do fio da madeira até desaparecerem todas as manchas ou traços da boneca. Deixe endurecer. O envernizamento com boneca seca rapidamente, sendo contudo, necessários vários dias para que adquira a sua dureza máxima.

Os polimentos à base de goma-laca podem também ser aplicados com uma trincha, mas deve deixar secar cada demão antes de passar com uma lixa muito fina.

Ebanizar

Este processo dá à madeira um acabamento negro, denso e mate, semelhante ao ébano, sem, contudo, ocultar as fibras da madeira. As madeiras mais adequadas para este acabamento são as de fibra apertada, de folhosas brancas, nomeadamente o buxo, o sicómoro, a faia e a bétula. Aplicação. A madeira deve ser limpa e bem lixada; o fio não deve ser betumado. Aplique primeiro uma solução preta para tingir a madeira e termine com a aplicação de uma película de poliuretano mate. Para obter maior resistência, poderá aplicar duas ou mais camadas, mas evite que se forme uma camada excessivamente espessa, que apenas servirá para ocultar as fibras da madeira. Quando o acabamento estiver seco, passe com palha de aço extremamente fina.

Tratamento com cal

É o tratamento tradicional para a madeira de carvalho. Embora pouco usado actualmente, dá um acabamento bastante agradável que se emprega em certos trabalhos para igrejas ou de restauro.

Aplicação. Abra o fio da madeira com uma escova de arame, trabalhando com movimentos regulares segundo o fio. Se a madeira se destina a ser tingida, esta operação deve ser feita nesta fase. Em seguida, aplique o produto de acabamento e depois a cal. Trabalhe segundo esta ordem para evitar que o acabamento descolore a parte de cal. Finalmente, aplique uma delgada camada de verniz branco pelo processo de envernizamento por boneca, tendo o cuidado de evitar que penetre no fio da madeira.

Deve fazer-se penetrar a parte de cal no fio por meio de um movimento perpendicular ao fio da madeira, a fim de encher todos os poros. Elimine o excedente, trabalhando sempre perpendicularmente ao fio, e deixe secar durante algumas horas. Esfregue depois energicamente com um pano seco no sentido do fio.

Nem sempre é fácil encontrar à venda estas pastas, pelo que poderá prepará-las V. mesmo. Misture a cal em pó com água até formar uma pasta espessa ou a cal viva com água até obter a consistência de uma tinta e deixe-a arrefecer.

Ambas as misturas se aplicam pelo mesmo processo utilizado para uma pasta comercial pronta a aplicar; porém, a cal em pó necessita de duas demãos de verniz branco, enquanto a cal viva apenas exige uma.

Enegrecimento (patina)

Como o acabamento por cal, o enegrecimento é um processo de acabamento tradicionalmente aplicado à madeira de carvalho. Permite o escurecimento pela exposição aos vapores do amoníaco.

Existe um tipo de amoníaco especialmente preparado para este fim que pode ser adquirido nas drogarias.

Para madeira de carvalho, o enegrecimento é mais eficaz do que a tingidura e dá às superfícies um aspecto de envelhecimento que não se consegue obter por outros processos.

A maioria das peças de madeira de carvalho pode ser enegrecida sem ter sido previamente lixada. Contudo, a cola, o óleo e as marcas dos dedos devem ser eliminados com lixa para evitar um enegrecimento desigual.

Aplicação. Para enegrecer peças de pequenas dimensões, prepare uma armação ou uma tenda estanque com paus e folhas de plástico e dois ou três recipientes, contendo cada um um pouco de solução. Conquanto o processo seja simples, o controle da intensidade do enegrecimento apresenta dificuldades. Para facilitar este controle, faça uma pequena janela transparente na armação ou tenda, o que permitirá verificar quando é que a obra apresenta a cor desejada.

Coloque os recipientes em volta da peça a igual distância uns dos outros. Não esqueça que os vapores só actuam nas superfícies expostas; para enegrecer o interior de um móvel, desmonte as portas e trate-as separadamente. No caso de peças grandes, é necessário uma grande tenda de plástico ou uma barraca, sendo, porém, indispensável uma perfeita estanqueidade.

Os vapores do amoníaco são tóxicos, pelo que não deve respirá-los. Este trabalho de enegrecimento não deve ser executado dentro de casa.

O tempo necessário para este tratamento é impossível de determinar, pois depende não só da madeira — algumas variedades de carvalho enegrecem mais rapidamente do que outras — mas também das dimensões da câmara de tratamento. O enegrecimento pode levar cerca de doze horas; se não conseguir obter a tonalidade desejada à primeira tentativa, poderá repetir a operação utilizando uma maior quantidade de amoníaco.

Concluído o trabalho, retire a peça da tenda, exponha-a ao ar e dê-lhe o último acabamento. Empregue, de preferência, óleo de linhaça ou cera de polir.

Se uma das peças tomou parcialmente uma tonalidade demasiado escura, pode ser branqueada com uma solução de ácido oxálico e álcool desnaturado. Aplique cuidadosamente a solução com uma escova, protegendo a superfície em volta com uma fita adesiva. Por fim, lave a peça com vinagre e deixe-a secar. Este processo tende a levantar o fio da madeira, pelo que será necessário dar-lhe uma leve passagem com lixa.




Sem respostas

Deixar Comentário