multimetro-analogico-e-digital
Multímetro digital e analógico
 
O multímetro é um aparelho que permite medir as unidades elementares utilizadas em electricidade (volt, watt, etc). Através dele, é possível detectar a localização de avarias eléctricas de um circuito ou aparelho e proceder à sua reparação.

• Existem dois tipos de multímetros: os analógicos, que possuem um ponteiro que assinala as medições numa escala; e os digitais, nos quais as medições são afixadas numericamente num visor LCD (de cristais líquidos).

Qualquer que seja o tipo de multímetro, este possui sempre um botão ou várias teclas que permitem seleccionar uma das seguintes possibilidades de medição: a tensão ou intensidade de corrente contínua, a tensão ou intensidade de corrente alterna e a resistência. Também é possível determinar as zonas de medida para cada selecção: por exemplo, de zero a três volt.

A corrente contínua existe nos circuitos eléctricos em que a fonte de energia tem dois pólos fixos: um positivo (+) e outro negativo (-), As baterias dos automóveis, por exemplo, utilizam este tipo de corrente.

Na corrente alterna, tal como na contínua, a fonte de energia apresenta dois pólos de ligação. No entanto, estes mudam continuamente de polaridade (alternam): o pólo positivo torna-se negativo e vice-versa. A corrente muda de direcção sempre que isso acontece.

 

As unidades de medida

As unidades eléctricas utilizadas para efectuar as medições costumam figurar nas placas de identificação dos aparelhos. Eis as mais frequentes:

a intensidade (símbolo I) expressa-se em amperes (símbolo A);

a tensão (símbolo U) tem como unidade o volt (símbolo V);

a resistência (símbolo R) é medida em ohm (símbolo Ω);

– a potência de um aparelho (símbolo P) expressa-se em watt (símbolo W) e, mais frequentemente, em kilowatt (símbolo kW). Um kW equivale a 1.000 W Para calcular o valor (aproximado) da potência, da tensão e da intensidade, utiliza-se a seguinte equação: P = U.I, ou: potência (em watt) = tensão (em volt) x intensidade (em amperes).

 

 

Um exemplo concreto

Que potência suporta um circuito protegido por um disjuntor de 16 amperes?

Sabemos que:

U = 220 V (a tensão mais utilizada entre nós);

I = 16 A;

por conseguinte:

P = 220 x 16 = 3.520 W

Esta simples equação permite calcular a potência admitida pelos disjuntores existentes no quadro geral.

Ou seja, desligar-se-á um disjuntor de 16 A, se ligarmos ao circuito que protege uma máquina de café, um aspirador e uma torradeira?

Para o sabermos, basta somar as potências e comparar o resultado obtido com a potência teórica permitida. Assim, se ligarmos: uma torradeira = 900 W

um aspirador = 850 W

e uma máquina de café = 850 W o total será =2.600W

Neste caso, não haveria qualquer problema, já que o disjuntor aguenta até 3.520 W Mas, se acrescentássemos um radiador com 1.500 W de potência, essa capacidade seria ultrapassada e o disjuntor cortaria a corrente. Se chegar à conclusão de que necessita de uma potência superior àquela de que dispõe, o melhor é solicitar à companhia de electricidade que substitua o quadro actual por outro de maior potência.

 

 

Aplicações práticas

Vamos limitar-nos a alguns exemplos muito simples, já que, na altura da compra, o multímetro vem normalmente acompanhado de um manual de instruções que lhe dará diversas informações sobre a forma correcta de o utilizar.

Como medir a tensão num circuito de corrente contínua?

Para verificar, por exemplo, se uma pilha ainda tem carga, seleccione no multímetro o sector “corrente contínua” (ou DC, do inglês Direct Current) e a zona de medição.

Se tomarmos como exemplo uma pilha de 9 volt, será necessário seleccionar a zona de medição imediatamente superior (10 volt, por exemplo). Atenção: se a tensão não estiver legível ou não for indicada, é preferível escolher um valor elevado e ir baixando progressivamente! Em seguida, ligue os cabos tal como se indica na fotografia. Se o multímetro apresentar um valor de 9 V, a pilha está em bom estado. Se indicar um valor (muito) abaixo, é melhor substituí-la ou, se possível, recarregá-la.


Como medir a tensão num circuito de corrente alterna?

A maior parte dos electrodomésticos funciona com corrente alterna. Esta informação vem geralmente indicada na placa de identificação. Nunca utilize um multímetro para medir a tensão de um electrodoméstico sem ter verificado esta placa: para que tudo corra bem, é necessário que a selecção da corrente e da voltagem sejam rigorosas!

Comece por ligar a ficha do aparelho à corrente. Em seguida, seleccione no multímetro o campo de medida ACV, que indica a tensão de corrente alterna. Uma vez que a rede eléctrica, no nosso país, tem 220 V, escolha no multímetro o valor imediatamente superior. Se o multímetro indicar um valor inferior a 220 V, é porque o contacto é interrompido em qualquer ponto do circuito.

 

 

ATENÇÃO!

Pegue nas pinças apenas pela parte que se encontra isolada.

– As pinças só podem tocar nos bornes que estão a medir: se se tocarem entre si, ocorrerá um curto-circuito, danificando o aparelho; se tocarem numa superficie metálica, o utilizador poderá apanhar um choque.

Como medir a resistência?

Para saber, por exemplo, se uma lâmpada está fundida:

– no caso de uma lâmpada transparente, vê-se claramente se o filamento está ou não partido;

– para as lâmpadas foscas ou opalinas, seleccione o sector que mede a resistência (assinalado com os símbolos Ω ou kΩ). Se tiver um multímetro analógico, ponha as duas pinças em contacto: a agulha move-se. Com a ajuda do botão, regule a agulha para zero. Ponha as pinças do multímetro em contacto com a lâmpada (veja a foto): se o multímetro indicar (resistência infinita), isso significa que a lâmpada está danificada.


Como verificar a resistência de um aparelho?

A resistência dos aparelhos está geralmente coberta por outros materiais, de forma que é impossível vê-la. Para determinar o seu bom funcionamento, é necessário medir a resistência eléctrica (com o aparelho aberto, mas desligado.?). Esta deve oscilar entre 10 e 100 Q. Se o multímetro indicar valores superiores a 100 Q é porque há qualquer problema. Se marcar infinito (»), a resistência está danificada.

ATENÇÃO!

Coloque as pinças do multímetro directamente nos pontos de junção da resistência, para evitar que a medição seja afectada por dispositivos de segurança, pelo termostato, etc.

Como verificar o funcionamento do termostato?

Com o aparelho desligado, seleccione o sector que mede a resistência e ligue o multímetro aos pontos de ligação do termostato (veja a foto). Mova o botão de regulação da temperatura do aparelho. O multímetro deve passar, imediatamente, de °o (termostato desligado) a zero (termostato ligado).

Em seguida, indicará o valor da resistência. Se o multímetro permanecer na posição zero ou °o, o termostato terá de ser substituído.

Como verificar a resistência de um cabo?

O objectivo é localizar a origem da avaria: interrupção da corrente ou curto-circuito? No cabo ou na ficha? A ligação do cabo com a ficha está submetida a um desgaste acentuado, devido ao movimento constante, Por isso, o filamento de cobre pode ficar a descoberto, partir-se e provocar um curto-circuito.

Comece por medir a resistência entre os bornes da ficha, seleccionando o campo de medida ou kΩ, com o aparelho desligado.

– Se a resistência indicar ∞, sacuda o cabo em diversos pontos. Se o aparelho oscilar entre 0 e ∞, é porque há um curto-circuito no cabo ou na ficha ou, então, o cabo está partido. Nesse caso, será necessário reparar ou substituir a peça danificada.

– Comece por substituir a ficha, se isso for possível. Se o aparelho continuar sem funcionar, verifique cada um dos fios do cabo separadamente. Para o efeito, coloque uma das pinças do multímetro sobre um dos bornes da ficha e a outra sobre o ponto correspondente de junção do fio ao aparelho (ver ilustração). Se o multímetro indicar valores baixos (alguns Ω), o fio está em bom estado e, portanto, o problema tem outra causa. Caso contrário, será necessário substituí-lo.

ATENÇÃO!

Alguns dos aparelhos que também funcionam a pilhas (rádios, por exemplo) têm um transformador incorporado. Nestes casos, a resistência medida nunca alcançará o infinito. Por isso, verifique directamente o estado de cada fio em separado.