Manutenção de impressoras

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”… Já muitas vezes ouvimos esta expressão… e mudam-se os hábitos.

Com o avanço da tecnologia, o advento do computador trouxe a “extinção” da necessidade de utilizar uma máquina de escrever, sendo esta substituída pela impressora.

Contudo, como acontece com outro tipo de aparelhos informáticos e electrónicos, o uso constante requer uma manutenção atenta e cuidada.

Por isso, seguem-se algumas orientações básicas para a manutenção de impressoras.

Confira-as já abaixo.

Cuidados e manutenção

impressoraA impressora é o periférico com mais componentes móveis do computador. A tinta, com o passar do tempo, desgasta e suja a impressora, o que poderá causar situações como o puxar de várias folhas ao mesmo tempo, manchas de impressão, entupimento, desalinhamento, entre outras situações.

Se se depara regularmente com situações destas, então chegou a altura de proceder à manutenção da impressora, o que irá implicar abri-la, limpar componentes e substituir aqueles que estiverem gastos ou muito sujos.

Numa manutenção de impressoras, o primeiro passo é seguir um procedimento correto, auxiliado por alguma paciência.

Por forma a simplificar a manutenção poderá seguir quatro etapas básicas:

  • definição de sintomas;
  • identificação e isolamento (do componente danificado);
  • troca ou reparação;
  • novo teste (verificar se problema ficou resolvido).

Algo que nunca deverá fazer é desmontar um equipamento sem antes ter verificado, em detalhe, a ocorrência do defeito ou problema. Ao começar pela definição de sintomas, há que perceber o que provoca funcionamento indevido, pelo que deverá apontar quando ele surgir, bem como o modo como ocorre.

Na manutenção de impressoras, é necessário também verificar se realmente é este o equipamento que regista problemas, tendo em conta que uma impressora faz parte de um complexo sistema, junto com o computador.

Aquando da manutenção deve estar consciente que as impressoras possuem cinco áreas principais: sistema de alimentação de papel, uma cabela de impressão (impressoras convencionais) ou sistema de formação de imagens (impressoras EP), um sistema de transporte e posicionamento do cabeçote (exceto nas EP), uma fonte de alimentação e uma unidade de controle.

Uma vez localizado o problema ou defeito, pode ser que seja apenas necessária uma limpeza ou ajuste. Outros casos exigem mesmo a substituição ou reparo das partes mecânicas, eléctricas ou eletrónicas.

Quem vai proceder a uma manutenção de impressoras, deverá saber que as peças podem ser classificadas em subconjunto ou componentes. Um subconjunto também se pode denominar de módulo e é uma série de componentes individuais que trabalham juntos no executar de uma função (resistores, transistores, engranagens, roldanas, etc.).

Em regra, quando se procede a uma manutenção de impressoras e se detetam componentes defeituosos, estes devem ser trocados em vez de reparados. Já os subconjuntos poderão ser ou não reparados com a troca de um ou mais componentes. O que é habitual é a troca de um subconjunto inteiro por outro que sabe estar bom, apenas para deixar a impressora pronta e ter tempo de consertar o subsconjunto com calma.

Por fim, e como último passo na manutenção de impressoras, deverá fazer novo teste antes de ligar a impressora ao computador. Hoje, a maioria das impressoras dispões de um auto-teste que pode ser feito sem que esteja ligada ao computador.




Deixar Comentário