Regulação do carburador e da Marcha Lenta

A regulagem dos débitos de gasolina através os diversos circuitos assim como os calibres de ar são determinados pelos orifícios calibrados. Não se recomenda a substituição desses calibres por outros de maior diâmetro ou o alargamento dos mesmos com a finalidade de aumentar o fluxo de gasolina e a consequente força do motor, pois o consumo de combustível aumentará de modo desproporcional.
A única regulagem que o carburador requer eventualmente é a da marcha-lenta, muito simples de ser executada.

Regulagem da marcha-lenta

Neste ajuste o motor deve estar funcionando a temperatura normal de trabalho e a regulagem se faz por meio de 2 parafusos: o da velocidade, situado na parte externa, na ligação do comando da borboleta, e o da mistura, localizado na parte inferior do carburador.
Torce-se o regulador da mistura levemente até que fique assentado, sem ser forçado, a fim de não danificar sua ponta e a partir desse ponto destorce-se o regulador 1 1/2 voltas. Tenta-se depois por motor em funcionamento. Se não se conseguir, destorce-se o parafuso um pouco mais.
Atua-se então sobre o parafuso regulador da velocidade até que se obtenha uma velocidade satisfatória. Se preciso, atua-se novamente sobre o regulador da mistura até que o motor funcione regularmente, sem trancos e de modo uniforme.
A marcha-lenta estará bem regulada se, ao se calcar o acelerador e soltá-lo em seguida, o motor continua funcionando normalmente.
Se não se consegue um funcionamento regular do motor, deve-se pesquisar outras causas de funcionamento irregular, já que este está na dependência também de outros fatores. As causas de mau funcionamento na marcha-lenta e que também se refletirão no desempenho, são as seguintes: velas em mau estado, sujas e descalibradas; cabos e fios do sistema de ignição em mau estado; platinados sujos e descalibrados; faísca fora de tempo; ligações frouxas, condensador estragado; bobina defeituosa; desigualdade de compressão entre os cilindros proveniente de válvulas sujas, queimadas, mal reguladas; porcas do cabeçote ou velas mal apertadas; juntas estragadas; anéis de segmento partidos ou gastos.
Como causas mais remotas, pode-se citar o excesso de pressão da bomba de gasolina ou vedação defeituosa da agulha da cuba de nível constante, provocando inundação do carburador e obstrução parcial do calibre do pulverizador de marcha-lenta.

25 Comments

  1. HAMILTON MARTA PAULO Responder
    • felipemecanico Responder
      • ivaildo Responder
    • maurilio a. junior Responder
  2. emurf Responder
    • cezar noronha Responder
  3. MAXIMIANO Responder
  4. J. Bazalia Responder
    • wellington Responder
  5. Vinicius Responder
  6. gustavo Responder
  7. jocival Responder
  8. alexsandro maia Responder
    • julio Responder
  9. jose ronaldi Responder
  10. Vitor Reis Responder
  11. anderson da silva Mchado Responder
  12. fabio Responder
  13. douglas Responder
  14. Anderson Responder
  15. Fabricio Responder
  16. Mazinho Almeida Responder

Deixar Comentário