A importância das Técnicas de manutenção preventivas

A técnica de manutenção preventiva é, por definição, uma técnica de manutenção planeada e que previne a manutenção corretiva.
Os programas definidos mais comuns são os reparos, a lubrificação ou ajustes. O que todos estes programas têm em comum é a verificação periódica do funcionamento dos equipamentos para antecipar eventuais problemas que impliquem gastos maiores.

De facto, a manutenção preventiva visa a correção de falhas e avarias nas máquinas antes mesmo que aconteçam, o que vem evitar prejuízos e riscos de interrupção de produção.

Esta manutenção requer esforços de planeamento e treino de equipas com o intuito de manter os equipamentos no melhor funcionamento e confiança. Seja em ações isoladas ou em grandes paragens, o ideal é que a manutenção preventiva seja uma das maiores prioridades dos gestores.

De facto, o principal objetivo de uma manutenção preventiva é o evitar de falhas e avarias nos equipamentos, sendo que assim o prevenir ficará mais barato que o remediar.

Todo o planeamento deste tipo de manutenção é elaborado tendo em vista a substituição de componentes desgastados antes que realmente falhem.

As atividades de manutenção preventiva incluem a verificação de máquinas, dispositivos e ferramentas, alterações parciais ou totais nas peças, mudanças de óleo, por exemplo.

Importa salientar que nalgumas empresas, o plano de manutenção preventiva está relacionado com treinos específicos aos funcionários. Isto porque existem estudos que revelaram que muitos dos defeitos de equipamentos se devem à sua má utilização. Benefícios a longo prazo desta manutenção incluem diminuição de custos de substituição de peças, ferramentas ou máquinas.

Mas ainda existem alguns equívocos acerca da manutenção preventiva. Um deles é que ela é dispendiosa. Sem dúvidas que pode ser considerada mais barata do que quando comparada aos prejuízos causados pela inatividade de máquinas, cuja consequência seria a interrupção da produção e baixos lucros.

Um outro fator a ter em conta é a altura em que a manutenção preventiva deve ser realizada, o que depende de vários fatores, isto porque existem items a serem inspecionados e lubrificados diariamente, além das inspeções que são progressivamente mais detalhadas a cada quinze dias, mensalmente, trimestralmente, semestralmente e / ou anualmente, consoante o tipo de máquina, uso e condições de operação.

Não obstante, existem mais fatores que ajudam a determinar o melhor intervalo de tempo entre as tarefas de manutenção preventiva. Uma delas é a quantidade de tempo que a máquina funciona.

Além de tudo isto e fulcral numa manutenção preventiva é, também, o ambiente em que a máquina opera, se é húmido ou seco, se ela recebe cargas de choque de forte ou moderada intensidade, qual o nível de vibração do equipamento e se está ou não sujeita a vazamentos.

Como seria de esperar, as boas práticas de operação e limpeza ou a falta delas irão ter, com certeza, um impacto significativo sobre a programação de manutenção.

Especialmente nos casos de indústrias e grandes fábricas ou locais alvo de algum tipo de produção em maior escala, as paragens planeadas para extensão de plantas industriais, por inventários ou quaisquer outros motivos, também irão ditar a altura em que os trabalhos de manutenção preventiva poderão se realizados.




Uma resposta

Deixar Comentário