Anéis de segmento e êmbolos

Anéis de segmento e êmbolos

As ranhuras dos êmbolos não devem apresentar rebarbas. O anel de compressão superior deve ser montado com a parte marcada (top) para cima, ou melhor, voltada para a cabeça do êmbolo. Se for usado o mesmo êmbolo, comparam-se suas medidas, assim como as folgas dos anéis com as especificações. Se essas folgas forem superiores as tolerâncias máximas, há necesidade de substituição. No caso de se recolocar os mesmos êmbolos, observe-se que sejam colocados nos mesmos lugares de origem e com a mesma face voltada para cima. As emendas dos anéis não devem coincidir: a do anel de óleo deve ficar voltada para cima e as dos anéis de compressão de um e de outro lado dessa emenda, formando com a mesma ângulos de 120°.

Na recolocação dos êmbolos recomenda-se aquecê-los a temperatura de 80°C em um banho de óleo, a fim de que os pinos sejam colocados com facilidade. A seta marcada na cabeça deve apontar para o volante.

Classificação dos pesos dos êmbolos

Motor “1 200” (até 1966)

Marcação da cabeça do embulo - Fusca 1200

Marcação da cabeça do embulo - Fusca 1200

Motor “1 300”:

Traço colorido marrom (= – peso): 309 a 314 g.

Traço colorido preto ( = + peso): 314 a 319 g.

Motor “1 500”:
Traço colorido marrom (= — peso): 372 a 378 g.

Traço colorido cinza (= + peso): 378,5 a 385 g.

Máximo de diferença admissível em um mesmo motor: 10 g.




2 Comments

  1. marin Responder
  2. leandro Responder

Deixar Comentário